sábado, 15 de março de 2014

Entre as minhas leituras prediletas, Tagore











O sábio romântico Rabindranath Tagore



Poeta, contista, dramaturgo e crítico da arte hindu, nascido em Calcutá, na Índia, em 7 de maio de 1861, Tagore foi o maior poeta moderno da Índia e o gênio mais criativo da renascença indiana.








Além de poesia, Tagore escreveu canções(letras e melodias), contos, novelas, peças de teatro(em prosa e verso), ensaios sobre diversos temas incluindo críticas literárias, textos polêmicos, narrativas de viagens, memórias e histórias infantis: O Jardineiro, O Carteiro do Rei, e Pássaros Perdidos.

Grande parte de sua obra foi escrita em bengali, linguagem oficial do povo bengali, que vive na região nordeste da Ásia Meridional, Bengala, entre Bangladesh e a Índia. Seu livro mais conhecido foi lançado em 14 de agosto de 1910, publicado originalmente com o título Bengali, uma coleção de 157 poemas de Tagore.







Em novembro de 1912 a Sociedade Índia de Londres lançou o livro Gitânjali, obra que traduzia 53 poemas do livro Bengali, e mais 50 poemas de outros livros de Tagore.

A tradução e interpretação dos poemas do livro Bengali foi muito radical, perdendo-se um pouco da sua essência poética original, mesmo assim, os poemas de Rabindranath foram muito bem recebidos na Inglaterra, tanto que em 1913, Tagore tornou-se o primeiro escritor não-europeu a receber o Prêmio Nobel de Literatura, e grande parte deste prêmio deve-se à sua obra Gitânjali.








Tagore modernizou a arte bengali desprezando suas rígidas formas clássicas. Seus romances, histórias, canções, danças dramáticas e ensaios falavam sobre temas políticos, sociais e pessoais. Sua obra poética foi aclamada por seu lirismo e sempre orientada por preocupações humanistas.








Em toda esta obra estão 3 livros de contos e romances, 13 livros de poesias, 8 novelas, 50 ensaios, vários textos isolados e mais de 2000 canções compostas em um estilo próprio, criado por ele e chamado de "rabindra-sangita", no qual o autor fundiu a música clássica indiana (sobretudo a hindustani) com as tradições folclóricas de diferentes partes da Índia.







Seu pensamento abriu novos caminhos para a interpretação do misticismo indiano, procurando atualizar as antigas doutrinas religiosas nacionais. Tagore colaborou em revistas americanas, tendo obras publicadas em francês, inglês e espanhol.

Realizou conferências no Uruguai, Argentina, França, Estados Unidos. Recebeu o título de "Doutor Honoris Causa e Membro Honoris Causa" de universidades e associações do Brasil e outros países, e de Oficial da Legião de Honra da França e da Ordem do Leão Branco da Tcheco-Eslováquia.

Tagore participou do Movimento Nacionalista Indiano e era amigo pessoal de Mahatma Gandhi, que o chamava de Sentinela da Índia.







Em 1919, Tagore renunciou ao título de Sir concedido a ele pela Coroa Britânica em 1915, como forma de protesto contra a política britânica em relação ao Punjab, ou Panjabe, extensa área da Índia que fora dividida em boa parte e cedida ao Paquistão.


Tagore faleceu em 07 de agosto de 1941.











Versos de Tagore


"Se me é negado o amor, por que, então, amanhece;

por que sussurra o vento do sul entre as folhas recém nascidas?

Se me é negado o amor, por que, então,

A noite entristece com nostálgico silêncio as estrelas?

E por que este desatinado coração continua,

Esperançado e louco, olhando o mar infinito?"










Alguns de seus aforismos



"Se de noite choras pelo sol, não verás as estrelas."



"A luz do Sol me saúda sorrindo. A chuva, sua irmã triste, me fala ao coração."



"Se faço sombra em meu caminho, é porque há uma lâmpada em mim que ainda não foi acesa."



"Teu sol sorri nos dias de inverno de meu coração, e não duvido jamais das flores de tua primavera."



"Quando o dia cai, a noite o beija e lhe diz ao ouvido:

'Sou tua mãe a morte, e te hei de dar nova vida'."




"O mistério da vida é tão grande como a sombra na noite."




"Lemos mal o mundo, e logo dizemos que nos enganam."




"A borboleta conta momentos e não meses, e tem tempo de sobra."




"Elogios me acanham, mas secretamente imploro por eles."




"Quando eu estiver contigo no fim do dia, poderás ver as minhas cicatrizes, e então saberás que eu me feri e também me curei."




"Cada criança nos chega com uma mensagem de que Deus ainda não se esqueceu dos homens."


por Elson   

7 comentários:

  1. OLÁ AMIGO.
    TUDO BEM COM VOCÊ?
    BEIJINHOS...VERA

    ResponderExcluir
  2. Olá, Elson
    Também gosto do Tagore... aliás, os místicos são os meus preferidos há 20 anos...
    "Quando eu estiver contigo no fim do dia, poderás ver as minhas cicatrizes, e então saberás que eu me feri e também me curei."
    O último pensamento coloquei-o no cartão de primeiro aninho do meu filho há 40 anos...
    Gostei muito de conhecer o seu blog pelo da amiga querida Silvana...
    Abraços fraternos e quaresmais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. TAGORE para mim é um dos mais sábios poetas do mundo indiano... sua capacidade de captar e transmitir através das letras o mundo invisível e sensível é encontrada em poucos escritores... valeu pela visita e pelo comentário, seja sempre bem vinda
      grande abraço
      Elson

      Excluir
  3. Olha aí Elson:
    Mais uma amiga minha chegando por aqui.
    Bjs.:
    Sil
    http://meusdevaneiosescritos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Elson, acredite...ainda vou reservar um tempo unicamente , pra ficar aqui na tua página lendo tudo isso, com calma, pelo amor de Deus , é lindo demais....amei , tudo isso menino...bjss Ana Linhares

    ResponderExcluir
  5. Elson...parabenizo , pela criação desse trabalho de grande qualidade , rico em cultura, em sentimentos, em conhecimentos...meu carinho e respeito , sempre...bjssAna Linhares

    ResponderExcluir
  6. Olá Elson . Não conhecia esse poeta, gostei muito qdo. ele diz:.
    O mistério da vida é tão grande como a sombra da noite
    Bjs
    Ana Teresa 31 de março de 2014

    ResponderExcluir

"Quem não pode atacar o argumento, ataca o argumentador." Paul Valéry